Cultivo
No Brasil, a produção de maçã se concentra em duas cultivares, ‘Gala’ e ‘Fuji’, que representam em torno de 90% da área plantada. Outras cultivares plantadas são a ‘Eva’, ‘Golden Delicious’, ‘Brasil’, ‘Anna’, ‘Condessa’, ‘Catarina’, ‘Granny Smith’.

As cultivares ‘Eva’, ‘Anna’ e ‘Condessa’ possuem baixa exigência em frio, o que as torna recomendáveis para plantio em regiões mais quentes e com produção entre dezembro e a primeira quinzena de janeiro.

A ‘Gala’ vem sendo gradativamente substituída por clones de coloração mais vermelha dos frutos, como a ‘Royal Gala’, ‘Imperial Gala’ e ‘Galaxy’. Seus frutos são colhidos nos meses de janeiro e fevereiro.

A ‘Fuji’ e seus clones ‘Fuji Suprema’ e ‘Kiku’, que também tem frutos mais avermelhados, produzem no mês de abril e maio, sendo uma fruta de sabor doce e muito suculenta. A ‘Fuji’ apresenta, ainda, a vantagem de ser mais resistente ao armazenamento que a ‘Gala’.

Os programas de melhoramento genético vêm criando cultivares com menor exigência em frio e resistentes a doenças, destacando-se a ‘Imperatriz’, ‘Daiane,’ ‘Baronesa’, ‘Catarina’ e ‘Joaquina’, as últimas duas resistentes a sarna, importante doença fúngica que ataca folhas e frutos das macieiras.

Para início do pomar é imprescindível o plantio de mudas enxertadas e sadias, em porta-enxertos clonais ou de sementes da própria macieira.

Por se tratar de cultura perene e de polinização cruzada, deve-se consorciar no plantio variedades interpolinizantes.

A produtividade média da maçã no Brasil varia de 15 a 30 t/ha de frutos em pomares adultos e conduzidos dentro das modernas técnicas. Essa variação ocorre em função do espaçamento, cultivar e manejo.